Um pedaço de tempo

first-1121670_1920 (2)

                                      (pixabay.com)

Vê se encontra um tempo
pra me encontrar sem contratempo
por algum tempo
o tempo dá voltas e curvas
o tempo tem revoltas absurdas
ele é e não é ao mesmo tempo
avenida das flores
e a ferida das dores
(Tempo sem tempo, JM Wisnick)

ukeoutrosquetais completa hoje um ano! Sim. 365 dias, 4 estações e 43 posts. Chuvas, neve e um pouquinho de sol. Inglaterra e Brasil. Distância e proximidade. Manchester e saudades. E histórias.

E pra marcar a data o blog ganha duas novas sessões:
Biscoito Fino: aqui, histórias de luxo só! Fino da bossa e delícias.
Lado B: Por outro lado, as coisas nada a ver. Realidade real pra mostrar que nem tudo são flores e sempre há algo de podre no reino (aguardem os próximos capítulos!).

Mas acima de tudo, o blog é apenas um diário. Feito de relatos, impressões, cores e olhares. Um compartilhar. Um break de rotina, um suspiro pra lembrar. Como um avião de papel levando uma mensagem em branco, pronta para o novo. Um pedaço de tempo. Que tal?

paper-1565157_1920

                                                      (pixabay.com)

*Obrigada pelos comentários a cada post. Eles são os ventos que levam meu avião de papel

Dica (cultural!) de verão

WP_20160628_002
Como Manchester não é Londres, Paris ou Barcelona, a cidade fica meio de fora dos badalados roteiros turísticos de quem resolve dar um pulo na Europa (ou UK!). Por isso, nas férias de verão, o quê se vê por aqui é uma debandada geral. Tipo Porto Alegre em fevereiro. Então, segue a dica: a Manchester Art Gallery tem sempre alguma mostra bacana, com entranda franca.

A exposição Fashion & Freedom é uma boa pedida. Diversos trajes, roupas, e acessórios usados na época da Primeira Guerra Mundial (WW1), dividem espaço com peças recriadas por estilistas contemporâneos, numa releitura do que se usava nestes tempos. Um modelo de espartilho todo ornamentado, com pregas, fitas e pequenos detalhes do início do século XX, chama a atenção ao lado de seu equivalente usado durante a guerra: liso, simples, pouquíssimas costuras e amarras.

Fashion & Freedom é um das atrações organizadas pelo projeto 14-18 NOW, que busca conectar as pessoas com o centenário da guerra, através da arte. De 2014 a 2018, eventos como filmes, seminários, exposições e debates sobre esse tema estão programados por todo o Reino Unido.

Serviço:
Fashion & Freedom
Manchester Art Gallery (Piccadilly, M2 3JL)
Até 26 de novembro
Entrada franca

*Em tempo: a exposição 100 anos da revista Vogue que visitei em Londres no início do ano pode ser vista agora em Manchester até 30 de outubro, também na MAG (free)

Salta uma salada!

WP_20160516_008

Saladinha crocante! – lwg

Verão pede salada, refrescos, comidas leves e praticidade. Por aqui, apesar de a temperatura na cidade estar com preguiça de entrar no clima, me puxo nas ideias para aproveitar os legumes e verduras da temporada. E saladas são sempre uma boa pedida.

WP_20160708_001

Água saborizada à vontade num pub – lwg

A que preparei semanas atrás foi com filé de salmão. Mas também costumo fazer com queijo halloumi (coalho), atum ou peito de frango. O toque especial pode ser queijo gorgonzola, batata-palha ou kikos, o milho frito espanhol que substitui o crouton e deixa a salada bem divertida e crocante. Pra acompanhar, água saborizada com morangos, limão (lime) e lima (lemon) bem fresquinha. Que tal?

O que usei nesse prato
Alface americana (iceberg lettuce)
Alface crespa (oak leaf lettuce)
Rúcula (rocket)
Espinafre (spinach)
Feldsalat (folhinha de origem alemã, vendida aqui como mache)
Acelga vermelha (red chard)
Agrião (watercress)
Milho baby (baby corn)
Azeitonas verde (green olives)
Pimentão vermelho e amarelo (red and yellow pepper)
Tomate cereja (cherry tomato)

Com quantas moedas se faz um rancho!

business-18107_1920

pixabay.com

Pois bem, por essas bandas, às vezes vou no super apenas com umas moedas na niqueleira. Em geral, por comodidade e logística, compramos num supermercado simples, em que a maioria dos produtos ficam expostos dentro das próprias caixas. Sem luxo, prateleiras, música ambiente e, obviamente, empacotadores. E isso, claro, ajuda a reduzir de uma certa forma o custo.

Quando comecei a morar aqui, a confusão com as moedas era enorme! Ainda me atrapalho… A pessoa não consegue entender a falta de lógica: tamanho e valores discrepantemente desproporcionais! Mas, me viro. Aqui, pra ilustrar, as moedas válidas no Reino Unido (UK: Inglaterra, País de Gales, Irlanda do Norte e Escócia). Há também as notas (£50: raramente vistas; £20: sempre checam se não é falsa; £10: bem comum e £5, vulgo 5 pila, ou quid).

WP_20160717_006

Capiche? – lwg

Semana passada meu filho viu um trenzinho (aqueles caça-níqueis em forma de brinquedo!) e perguntou: Mamãe, tem moeda? Tinha. Mas negociamos. Em vez de uma voltinha no trem, que tal escolher um brinquedo novo? Topou. Brinquedo de £1.

Lista do super
Leite semi-desnatado (4 pints = 2,27litros): 89p
Pão de sanduíche (800gr): de 45p a £1
Suco de laranja (1 litro): 95p
Spaguetti (500gr): 20p
Banana (1kg): 68p
Alface americana: 45p
Uva (500gr): £1,45
Queijo fatiado (250gr): 99p
Farinha branca c/fermento (1,5kg): 45p
Buquet de tulipas: £2

Extras
Cinema (sábado de manhã): £1,80
Carrossel ou carrinhos caça-níqueis: £2
Ticket semanal de ônibus (Stagecoach): £13,50
Trocar pneu furado de bike na oficina: £10
Comprar a câmara e trocar você mesmo: £4,50

D.I.Y.

diy-617763_1920

                                                                                                          pixabay.com

Ou… temporada da construção e reforma Tumeleiro! Quem é gaúcho lembra da propaganda! Entre setembro e outubro, quando a temperatura voltava a subir, era a época de abrir a casa, tanto na cidade quando na praia, e mãos à obra.

Por aqui, os meses de junho, julho e agosto, são pra isso. Só o que vemos pelas ruas são pessoas reformando, pintando, construindo e repaginando casas e jardins. E em geral, são os próprios donos trabalhando. Do It Yourself.

E o hábito DIY (o termo surgiu em 1912) é tão forte que quase todos os estabelecimentos comerciais dedicam uma sessão de artigos próprios que quem curte a coisa. E tem sempre uma garagem e caixa de ferramentas à mão. E como serviços, ou seja, pagar para alguém fazer algo para você, é muito caro por aqui, todos se viram. Todos. Crianças (recolhendo lixo de parque e jardins) e adultos (perto dos 80). Meu avô Fredy adoraria. Era um DIY nato! E dos bons (ok, há controvérsias!).

Além das reformas, o mercado de compra e venda de imóveis é movimentadíssimo nessa época do ano. Uma corrida contra o relógio para tirar o mofo e encher a casa de nozes antes de novembro, quando o frio volta pra valer… até maio seguinte… Os clicos da vida. Que tal?

*Já temos cortador de grama… só falta estudo!

Sale é logo alí

Sale é uma pequena cidade ao sul de Manchester, pertencente ao distrito de Trafford, condado de Cheshire. E foi a primeira localidade próxima de Manchester que conhecemos em abril de 2014. Detalhe: fica a 10 minutos de bike da minha casa. Logo ali.

WP_20160622_003

Sale Town Hall, a prefeitura

Com cerca de 135 mil habitantes, há muitos anos era apenas um povoado rural, organizada em volta do Rio Mersey. Após a construção da linha férrea ligando os principais centros comerciais da região, Sale se desenvolveu e conquistou o título de Town.

WP_20160602_006

Bridgewater Canal (River Mersey) – lwg

Famosa pelo Bridgewater Canal (construído em 1759), Sale oferece serviços, lazer e compras como uma pequena área de serviços de shopping center no Brasil. A diferença é que é tudo ao ar livre. Tem academia, esportes náuticos, teatro, biblioteca e centro cultural: o Sale Waterside Arts Centre.

DSC02158

Worthington Park – lwg

É em Sale que abasteço a rotina aqui de casa: supermercados (Tesco, Aldi, Wilko, Sainsbury), correios, lojas, brechós, cafés (Nero, Verace) e restaurantes (Block and Gasket, Slug and Letucce). E de quebra aproveito a natureza dos parques (Worthington Park, 1900) e trilhas. Então, quando digo vou às compras em Sale (parece piada!), é logo alí mesmo.

*E fiquei pensando… se um dia me casar, acho que seria em Sale. Que tal?

Cheesecake de morango

WP_20160522_008

Yummy… Que tal? – lwg

Dia desses fiz uma cheesecake de morango. Fazia tempo. Vai super bem após uma almoço com amigos e as temperaturas amenas do verão por aqui: em média 16ºC. A receita que faço (passada pela Clarissa há 1000 anos atrás) é muito fácil. Mesmo. Até eu consigo fazer e fica DE-LI-CI-O-SA!

Claro, existem muitas variações dessa tradicional sobremesa de origem grega, popularizada pelos norte-americanos. Umas mais fáceis, outras pra profissional. Mas como tenho feito essa há mais de 10 anos e sempre é sucesso de público e crítica, não vou mexer no time. Que tal?

Ingredientes:
200gr de bolacha maria ou maisena (por aqui Digestive ou Rich Tea)
01 pote de iogurte natural
01 lata de leite condensado
02 potes de cream cheese (400gr)
150gr de manteiga (derretida)
Schmier (geleia) de morango ou frutas vermelhas (ou blackberry jam)
Morangos para decorar
canela em pó
Forma de anel (aro removível)

Como fazer:
Triturar a bolacha (liquidificador ou multiprocessador), colocar uma pitada de canela e separar; juntar a manteiga derretida e misturar até ficar consistente; forrar a forma com a massa e levar à geladeira; no liquidificador, misturar o iogurte, leite condensado e cream cheese; bater bem; despejar na massa e levar ao forno por uns 30min (ou até o recheio ficar firme); esfriar; cobrir com a schmier e decorar com os morangos; servir gelada.

*Update: no último dia 23, os inglês votaram por sair da União Europeia. Tudo em polvorosa por aqui.