Sabor de fruta

fruits

                                                                                            (dicasfasnfun.blogspot.co.uk)

As frutas que compro por aqui têm as mais diferentes origens. Já comprei uvas da Itália e do Egito, maçãs da Polônia e do Brasil, e bananas do Equador e da Colômbia. Além das berries – blackberry (amora), raspberry (framboesa), cranberry (arandos ou oxicocos) e blueberry (mirtilo) – que brotam em qualquer mato na Inglaterra, a variedade e a oferta de frutas por aqui é como nos trópicos.

dsc01782

Tempos atrás participamos de uma competição no playgroup onde levava meu filho em que o desafio era: quem acertasse mais nomes de frutas da cesta, levava pra casa! Ganhamos. E os sabores eram muitos. E bem exóticos (ou seja, alguns não deu para engolir!).

dscf0864

Claro, as frutas que aqui brotam, não têm o mesmo sabor de lá… do Brasil. Dia desses tomamos um suco de abacaxi que, pra mim, tinha gosto de sol, verão e beira de praia de lá. Memórias e verdades tropicais. Que tal?
As frutas da cesta:
Avocado (abacate)
Mango (manga)
Fig (figo)
Guava (goiaba)
Kiwi
Kahki (caqui)
Melon (melão)
Passion fruit (maracujá)
Lime (limão)
Lemon (lima)
Pineapple (abacaxi)
Apple (maçã)

*Outono chegou dia 22 com máxima de 17ºC. O alto verão esse ano marcou 26ºC.

Frio e aconchego

dscf0196

                                                                                                 Edale, Derbyshare – lwg

Edale é uma pequena vila localizada no Peak District, região das montanhas e vales do county (condado) Derbyshare. Fica a 45 minutos de trem de Manchester. E é um lugar frio. Mesmo. Mais intenso que vento minuano no inverno no Sul do Brasil. Mas nas três vezes que estive por lá, o que senti além do frio, foi aconchego e receptividade.

O trem que vai até Edale é daqueles bem antigos e pinga-pinga… Para em todas as estações do roteiro. Mas nada que atrapalhe a viagem, já que o cenário de picos e colinas – bem diferente da área urbana que estamos acostumados – nos envolve num clima de contemplação e harmonia. O vilarejo tem cerca de 360 (!!) habitantes (2011) e ainda preserva o famoso Cotton Mill (moinho de algodão) construído em 1795.

Fomos visitar um casal de amigos que mora por lá há muitos anos e tem exatamente a atmosfera do local: tranquilidade, integração com a natureza e uma simpatia que aquece até os mais gelados. Ele inglês e ela paulista, profundamente conhecedores da cultura brasileira, dão o toque especial. Até porque ouvir MPB, saborear feijoada, farofa e couve mineira no interior da Inglaterra é luxo para poucos!

Ainda não encaramos as caminhadas e escaladas que a região oferece. Edale marca o começo da trilha Pennine Way, uma das mais famosas da Inglaterra, com 267 milhas (429km) de extensão, até Kirk Yetholm, na fronteira com a Escócia. Como estivemos lá no outono e no inverno, o desejo de iniciar minha carreira de caminhante profissional foi trocada pelo aconchego dentro da casa. Mas um dia, quem sabe, me aventuro. Que tal?

*Em tempo: essa semana teve temporal com raios e trovões pela segunda vez em 2 anos. Parecia tardes de verão com chuva tropical na terra brasilis. Som gostoso.

Se chover…

Encare assim mesmo! Transferir eventos em caso de chuva por aqui é tão em vão quanto a probabilidade de sol. Nada é garantia de nada! Marquei num sábado… choveu. Transferi para o outro… e na hora em que eu estava organizando a mesa, chuva.. Tipo chuvisco. Fazer o quê? E, vejam só, todos os convidados foram. Bacana.

Foi nesse clima que organizei o aniversário do meu filho ainda no final de agosto. E esse ano, em função de outrosquetais, a festinha seria outdoor… ou seja, na rua mesmo! Então, pensei num picnic.

A ideia era aproveitar os brinquedos do parque escolhido (que haviam sido totalmente renovados) para as crianças brincarem, e depois usar as mesas da área para picnic. E o menu foi só para crianças. Tudo homemade!

A molecada estava bem faceira. Mas claro, final de festa é sempre final de festa… brigadeiros esmagados, balões estourados e canseira geral. Ano passado pra completar, um temporal e banho de chuva. Já 2016, aniversariante com febre e de molho no dia seguinte. Mas feliz. E é isso que vale. Já pensou num picnic de aniversário? Pra quem mora numa cidade com sol, o sucesso é garantido! Que tal?

*Menu Kids da festinha: palito de frutas, doguinho, sanduiche natural, pão de queijo, brigadeiro e beijinho, suco de frutas e bolo (pão de ló com doce de leite e côco). Fica a dica!

Dois pra lá, dois prá cá

school-916678_1920

Vida é chuva, é sol
Uma fila, um olá
Um retrato, um farol
Que será que será

Vida é um filho que cresce
Uma estrada, um caminho
É um pouco de tudo
É um beijo, um carinho
(…)
(VIDA: Calique/Garay)

Agosto chega ao fim; nem vi passar
Verão teve máxima de 26ºC; folhas já caindo das árvores
Tomei banho de mar; pronta para o inverno
Mudei de endereço; ainda no mesmo bairro
Andei sem tempo; andei sem ideias
Há um mês que não corro; há um mês que não paro
Visita do Brasil; aniversário do filho
Não espiei Olímpiadas; não ouso acompanhar impeachment
Férias terminam domingo; muitas caixas espalhadas
Há dois anos morando em Manchester; saudades de um mundo de gente

*Pois é… a vida às vezes é assim, meio descompassada. Mas conto dois pra lá e dois pra cá, e logo logo, entro no ritmo.

Um pedaço de tempo

first-1121670_1920 (2)

                                      (pixabay.com)

Vê se encontra um tempo
pra me encontrar sem contratempo
por algum tempo
o tempo dá voltas e curvas
o tempo tem revoltas absurdas
ele é e não é ao mesmo tempo
avenida das flores
e a ferida das dores
(Tempo sem tempo, JM Wisnick)

ukeoutrosquetais completa hoje um ano! Sim. 365 dias, 4 estações e 43 posts. Chuvas, neve e um pouquinho de sol. Inglaterra e Brasil. Distância e proximidade. Manchester e saudades. E histórias.

E pra marcar a data o blog ganha duas novas sessões:
Biscoito Fino: aqui, histórias de luxo só! Fino da bossa e delícias.
Lado B: Por outro lado, as coisas nada a ver. Realidade real pra mostrar que nem tudo são flores e sempre há algo de podre no reino (aguardem os próximos capítulos!).

Mas acima de tudo, o blog é apenas um diário. Feito de relatos, impressões, cores e olhares. Um compartilhar. Um break de rotina, um suspiro pra lembrar. Como um avião de papel levando uma mensagem em branco, pronta para o novo. Um pedaço de tempo. Que tal?

paper-1565157_1920

                                                      (pixabay.com)

*Obrigada pelos comentários a cada post. Eles são os ventos que levam meu avião de papel

Dica (cultural!) de verão

WP_20160628_002
Como Manchester não é Londres, Paris ou Barcelona, a cidade fica meio de fora dos badalados roteiros turísticos de quem resolve dar um pulo na Europa (ou UK!). Por isso, nas férias de verão, o quê se vê por aqui é uma debandada geral. Tipo Porto Alegre em fevereiro. Então, segue a dica: a Manchester Art Gallery tem sempre alguma mostra bacana, com entranda franca.

A exposição Fashion & Freedom é uma boa pedida. Diversos trajes, roupas, e acessórios usados na época da Primeira Guerra Mundial (WW1), dividem espaço com peças recriadas por estilistas contemporâneos, numa releitura do que se usava nestes tempos. Um modelo de espartilho todo ornamentado, com pregas, fitas e pequenos detalhes do início do século XX, chama a atenção ao lado de seu equivalente usado durante a guerra: liso, simples, pouquíssimas costuras e amarras.

Fashion & Freedom é um das atrações organizadas pelo projeto 14-18 NOW, que busca conectar as pessoas com o centenário da guerra, através da arte. De 2014 a 2018, eventos como filmes, seminários, exposições e debates sobre esse tema estão programados por todo o Reino Unido.

Serviço:
Fashion & Freedom
Manchester Art Gallery (Piccadilly, M2 3JL)
Até 26 de novembro
Entrada franca

*Em tempo: a exposição 100 anos da revista Vogue que visitei em Londres no início do ano pode ser vista agora em Manchester até 30 de outubro, também na MAG (free)

Salta uma salada!

WP_20160516_008

Saladinha crocante! – lwg

Verão pede salada, refrescos, comidas leves e praticidade. Por aqui, apesar de a temperatura na cidade estar com preguiça de entrar no clima, me puxo nas ideias para aproveitar os legumes e verduras da temporada. E saladas são sempre uma boa pedida.

WP_20160708_001

Água saborizada à vontade num pub – lwg

A que preparei semanas atrás foi com filé de salmão. Mas também costumo fazer com queijo halloumi (coalho), atum ou peito de frango. O toque especial pode ser queijo gorgonzola, batata-palha ou kikos, o milho frito espanhol que substitui o crouton e deixa a salada bem divertida e crocante. Pra acompanhar, água saborizada com morangos, limão (lime) e lima (lemon) bem fresquinha. Que tal?

O que usei nesse prato
Alface americana (iceberg lettuce)
Alface crespa (oak leaf lettuce)
Rúcula (rocket)
Espinafre (spinach)
Feldsalat (folhinha de origem alemã, vendida aqui como mache)
Acelga vermelha (red chard)
Agrião (watercress)
Milho baby (baby corn)
Azeitonas verde (green olives)
Pimentão vermelho e amarelo (red and yellow pepper)
Tomate cereja (cherry tomato)