Rochdale

No final de maio deste ano, fomos visitar Rochdale, considerada o berço do cooperativismo aqui na Inglaterra. A viagem foi de Metrolink, nosso tram local que também nos conecta com a região metropolitana. E a sugestão do passeio foi do JF, meu sogro, que é um grande conhecedor do assunto.

lwg

lwg

Localizada a cerca de 20km (noroeste) de Manchester, a pequena cidade tem cerca de 200 mil habitantes. Logo na chegada, passeamos por uma feirinha de comerciantes locais e assistimos uma orquestra de metais infantil, que tocava um repertório pra lá de universal (tema do filme Titanic, entre outros!). E conhecemos o suntuoso prédio da Prefeitura com sua torre Vitoriana (lembra o Big Ben de Londres, claro), datado de 1871.

torre Vitoriana da prefeitura

torre Vitoriana da prefeitura – lwg

Após o almoço, visita ao Touchstones Museum (galeria de arte e acervo histórico) e um parquinho, já que, em geral, é parada obrigatória! Nesse, os brinquedos eram em forma de mini-castelos… (meio contraditório para um povo que buscava a independência financeira!), mas as crianças não ligam!

brinquedos e mini-castelos...

brinquedos e mini-castelos… – lwg

E sobre cooperatisvimo, um pouco de história: no ano de 1844, um grupo de tecelões em Rochdale criou uma sociedade que buscava a produção e divisão de riquezas de forma justa. Definição do Wikipedia: Uma cooperativa é uma sociedade cujo capital é formado pelos associados e tem a finalidade de somar esforços para atingir objetivos comuns que beneficiem a todos. Os fundamentos dessa iniciativa (Regras de Rochdale) vigoram até hoje em empresas de diversos países.

Não conseguimos visitar o Pioneers Museum, espaço que guarda um pouco das origens do cooperativismo por essas bandas. Mesmo assim, a visita valeu a pena… e foi bom lembrar que nem só de monarquia vive a Inglaterra. Que tal?

Anúncios

Fechando o verão

Amanhã, dia 23 de setembro, começa o outono boreal… O outono no hemisfério norte. Bem, com a temperatura que tem feito, sinto que já é outono desde o início do verão… Mas isso são outros que tais.

folhas pelo chão: já era outono e eu nem me liguei!

folhas pelo chão: já era outono e eu nem me liguei!

Ao contrário das águas de março que fecham o verão no Brasil, o início da nova estação no Reino Unido se caracteriza, claro, pelas diferentes tonalidades nas árvores e os campos cobertos de folhas (até porque água tem quase todo dia!). Há também as típicas colheitas organizadas pelas comunidades locais, que promovem festas e degustação de doces e comidas preparadas com o fruto e as frutas do trabalho. Dias desses na escolinha aqui do bairro, as crianças colheram maçãs direto das macieiras no pátio. Pura diversão. Mas os ingleses levam essa tradição (e várias outras) bem à sério.

Eficiência britânica: irrigação natural quase todo dia

Eficiência britânica: irrigação natural quase todo dia – lwg

As máquinas de soprar folhas (um mega secador de cabelo que as empurra para um canto para serem recolhidas) já estão nos parques, assim como temperaturas entre 6º a 8º de manhã cedinho. Ainda insisto em sair de sandália por ai… Mas já não dá pé. Bruno também… Ele diz: ainda é verão mamãe? Posso sair de chinelo? Mas como explicar pro guri que apesar de ser verão, a coisa não é bem assim? Eu tento.

curtindo um solzinho no pé: ah, o verão! - lwg

curtindo um solzinho no pé: ah, o verão! – lwg

Nosso B&B (bed and breakfast) recebe daqui a algumas horas os últimos hóspedes da temporada. Durante as férias tivemos vários guests conhecendo um pouco da nossa vida por aqui e da cidade. Agora, hora de retomar a rotina. E se os esquilos guardam as nozes para o inverno, vamos guardar o duvet (edredon), lençóis e travesseiros bem perfumados para a próxima leva de visitantes. Que venham os próximos! O sofá-cama mais disputado de Manchester está às ordens. Que tal?

Back to School

Essa semana iniciei um curso de inglês. Antes tarde do que nunca, já que moro na Inglaterra há um ano, e aula mesmo, até agora nenhuma.

Apesar do meu partner (companheiro, namorido, marido, nunca sei!) ser professor de inglês, a lição aqui é se virar sozinha mesmo. Nada de faciltar a coisa. E se Santo de casa não faz milagre nem no Brasil, muito menos no Reino Unido. E a orientação (ordem) é uma só: ler (tudo o que der) e assistir filmes com áudio e legendas, somente em inglês. E se comunicar (ou tentar). Sempre.

Então resolvi dar uma ajudinha pro santo já que ninguém é de ferro e, após muuuuuita procura, consegui uma vaga. As aulas acontecem 2 vezes por semana, num dos centro de estudos para adultos, mantidos pelo governo de Manchester (através da secretaria municipal de educação), os Adult Learning Centres. É gratuito (no meu caso esposa de cidadão europeu tem esse direito) e com duração de um ano. Como já havia estudado o idioma antes, fui para um curso bem legal que é o Grammar + 2 Literacy (misto de gramática com aprimoramento das demais habilidades).

Bem, na verdade todo o pessoal aqui em casa tá no clima de volta às aulas: semana que vem Bruno começa o maternal na escola (Primary School) e o tal partner inicia o ano letivo no trabalho (Universidade de Manchester). E eu me preparando psicologicamente para a nova rotina. Não sei por que tenho sonhado que estou indo para a universidade e ainda não terminei as aulas de matemática no Piratini. No sonho (filme) tô lá toda produzida chegando para fazer a matrícula (em sei lá que curso) e encontro com os colegas da escola em Porto Alegre que dizem: mas tu nem terminaste o colégio! Vai entender…

Não faço ideia do que sonham meu novos colegas por aqui (chineses, iraquianos, paquistaneses, afegãos, espanhóis, somalis, indianos)… mas meu flashback (misto de Curtindo a Vida Adoidado e Curso de Verão) tá me dando frio na barriga igual ao primeiro dia de aula na volta das férias! Que tal?

Eu não sei nada, eu não sei nada!! (Lembram?) - lwg

Eu não sei nada, eu não sei nada!! (Lembram?) – lwg

Garden Birthday Party

Num sábados desses, final de agosto, foi dia de festa! Aniversário do Bruno. E após muito pensar, ponderar e me perder nas ideias, optamos por fazer a party em casa mesmo. E no jardim. Tema: livre… Ou pirata. Ou a casinha de pirata e tesouro que já tinha por aqui e era isso! 

Festa no jardim: piratas e outros que tais

Festa no jardim: piratas e outros que tais

Pensei até em fazer um picnic em algum parque do bairro e convidar alguns colegas e mummys dos grupos de crianças que frequentamos, os stay and play. Só que, picnic em Manchester com duas semanas de antecedência é, se não arriscado, roubada. Aqui, mesmo no verão, programas ao ar livre sem chuva, só de véspera mesmo e olhe lá!

Convidamos então as crianças que o Bruno já conhecia (em geral entre 02 e 06 anos de idade), alguns amigos nossos, conhecidos, colegas e futuros amigos. Marcamos entre 15h e 18h. Aqui, a duração da festa é levada super a sério. Se começa às 15h, é 15h mesmo. E o término é a mesma coisa. E todos que confirmaram a presença, vieram. Achei bem bacana. 

A produção da festa foi toda home made, caseira mesmo: décor, arrumação, comidinhas, bolo e a limpeza da casa. Consegui cadeiras de jardim emprestadas da dona da casa que alugamos e fiz pequenos banquinhos para as crianças com caixas de papelão de supermercado. Menu: tortinha de atum, pão de queijo, brigadeiro e beijinho, muffin integral de maçã, tomatinho cereja, uva e cachorro-quente. O bolo, a pedido do aniversariante, foi de cenoura com negrinho. Tudo com legenda em português e inglês. Para beber, água e sucos. Adultos: cerveja e clericot. Para uso dos copinhos de papel, uma dica ecológica: escrever o nome para evitar desperdício (ideia da Luisa). E som na caixa, claro. 

NiverNiver4Niver6

Então, o dia foi chegando e eu de olho na previsão do tempo (uso um aplicativo da BBC Weather no cel): nublado a muuuito nublado; Nublado com chuva; Chuviscos; Xiiiii. Bem, até que na sexta-feira anterior, surpresa: para o dia festa, haveria sol das 15h às 18h. Really? E assim foi! 

Festa e sol das 15h às 18h

Festa e sol das 15h às 18h

No total, havia 10 crianças e 12 adultos. Países representados? Brasil, Itália, Inglaterra, Eslováquia e Croácia. E na hora do parabéns, um pedido especial: todos foram convidados a cantar em português primeiro! Então, explicamos que a melodia era a mesma e todos participaram com lálálá ou whatever! E depois, o universal Happy Birthday… já que, well…

Chuva na finaleira com hora marcada

Chuva na finaleira com hora marcada

Resumo da festa: pelas 19h, nuvens escuras e chuva; os banquinhos mal foram usados; muitos copos foram para o lixo; docinhos esmagados pela grama; comida demais; o tênis novo do guri nem foi usado; presentes para abrir até 2016; e muitas conversas, risadas e brincadeiras; Ou seja, um sucesso. O aniversariante, depois do banho de chuva, já de pijama indo dormir, olha pra mim e diz: mamãe, eu gostei dessa festinha. Precisa mais? Que tal?

Niver8

English BBQ

Dia desses, ainda no final de julho, fomos convidados para um churrasco. E num domingo. Êpa? Na Inglaterra? Na hora busquei na memória aquele cheirinho de fumaça no ar nos clássicos churras dominicais. Mas será que churrasco por aqui é igual ao dos pampas?

Então, fomos lá conferir. Na verdade o barbecue era para comemorar o aniversário de um brasileiro casado com uma polonesa que conhecemos há algum tempo em Sale (Greater Manchester). E foi bem bacana. O convidado mais importante, o sol, deu as caras por lá… tipo primeiro a chegar e último a sair. E, não menos importante, uma galera bem animada e multicultural. Tinham brazucas, poloneses, canadenses, portugueses e, claro, ingleses. Adultos e crianças.

Acabamos chegando um pouco mais tarde (pontualidade britânica zero!) e já haviam iniciado os trabalhos. Cerveja e música rolando, bem faceiros degustamos o menu do dia: pão com alho, salsichão, espetinho de frango e legumes, coração de galinha, hamburguer, carne em cubinhos e outros petiscos. De sobremesa bolo e até negrinho e branquinho (ok, ok… brigadeiro e beijinho). Churrascada mesmo!

Alguma diferença? Bem, não domino muito o assunto, mas a churrasqueira não era numa parede. Era daquelas de metal, tipo tonel. No pátio. Na laje mesmo. Pra quem curte, foi um típico churrasco inglês… A não ser a tarde ensolarada e a animação bem brasileira. Que tal?

Churrasquinho inglês na laje!

Churrasquinho inglês na laje!