Que língua é minha pátria?

world-map-with-flag-logo (2)

livros, discos, vídeos à mancheia
e deixa que digam, que pensem, que falem

Na canção Língua, de Caetano Veloso (1984), ele afirma que a língua é nossa pátria. Ando pensando bastante sobre isso… Como me identifico com meu país? Pelo tipo de cabelo? Cor da pele? Brincos de argola? Biquini com bandeira do Brasil? Mas do que estou falando! É melhor fazer uma canção. Está provado que só é possível filosofar em Alemão.

O estudo Manchester is Britain’s city of languages publicado em 2013 pela Universidade de Manchester revela que há cerca de 200 idiomas falados na cidade. Na proporção, mais que Londres, já que Manchester tem 480 mil habitantes e a capital da Inglaterra, 8 milhões. É língua pra nínguém botar defeito!

Urdu (Paquistão), Árabe, Bengali (Bangladesh), Chinês, Polonês, Somali e Panjabi (Índia e Paquistão) despontam como as maiores comunidades linguísticas por aqui. E conforme o autor da pesquisa, Yaron Madras, 50% da população adulta em Manchester é multilingue.

No Brasil também temos vários idiomas dentro de um mesmo país. Alguém duvida? Dia desses num encontro com outros brasileiros fizemos uma pequena lista de palavras com o mesmo significado, mas completamente diferentes pelo Brasil à fora. Que tal?

Faixa para colocar no cabelo: tiara (RS), travessa (PA), arco (RJ)
Fruta: bergamota (RS), mexerica, tangerina
Tubérculo: aipim (RS), mandioca (SP), macaxeira (NE)
Pão de 50 gr: cacetinho (RS), pão francês, pão de sal

Que tal um cineminha?

cinema

No Brasil, levava meu filho no cinema desde os seus 06 meses de idade. Era o Cinematerna (sessões para mães, pais e bebês, com luzes e som reduzidos), mas com programação não muito específica para esse público. Como evento, era bem bacana. Anyway. Aqui em Manchester temos ido na rede de cinema Cineworld. O projeto Movies for Juniors mantém uma programação exclusiva para kids e toddlers, com preços e horários acessíveis. É diversão garantida… principalmente nas manhãs de frio e chuva quando opções outdoor ficam limitadas. A seguir os filmes que assistimos até agora e o que achamos.
Inside Out (Divertida mente)
Filme leve, sensível e inteligente para kids e adultos. Os personagens centrais são as emoções e os sentimentos (medo, raiva, alegria, tristeza e nojinho) da menina Riley e de que forma sua experiência de vida podem marcar profundamente sua memória e personalidade. Pelas risadas do meu lado, o filme agradou bastante. Eu adorei.

inside_out

The house of magic (A mansão mágica)
Achei que fosse uma historinha divertida sobre mágica e o imaginário criativo das crianças… Um gatinho fofinho, um mágico velhinho do bem e muitos brinquedos. Como animação, OK. Mas quase no final do filme, o corretor de imóveis inescrupuloso tira uma espingarda do carro e começa a atirar no gatinho, no rato, no coelho… Virei pro lado e ví o pequeno espectador grudado na cadeira. Tentei persuadí-lo a sair antes do final, mas não consegui. Vamos combinar: armas de fogo em filme infantil é o fim! Não gostei.

Minions
Ainda não entendi o que são as criaturas amarelas. Sorry. Animação ótima. Mas de novo, pancadaria, som carregado e uma vilã que luta, bate, atira, engana, etc, etc. Tudo aqui é Minions… galochas, livros, roupas, e até, brinquedos. Franquia tipo caça-níquel. O que consegui rir foi o personagem caricato da rainha da Inglaterra e o jeito British de ser. É isso.minions

The Good dinosaur (O bom dinossauro)
Assistimos no último sábado. Fomos (eu na verdade) com bastante expectativa. Parecia bem legal. E é. Mas, de novo, um pouco selvagem… já que se trata de animais e sobrevivência. Lutas e brigas também. Mas com a lição de que devemos superar os medos. E valorizar a família. Ok.

the_good_dinosaur

Também está em cartaz por aqui o filme do Snoopy. Pelo trailer, vai ser legal. Sempre gostei desse personagem. Dificilmente terá armas de fogo, violência e bichos assustadores. Ou talvez eu deva tirar o filtro cor-de-rosa e aprender que hoje em dia, a classificação LIVRE nem sempre é sinônimo de conto de fadas e final feliz. O mundo lá fora não tem o mesmo brilho das telas do cinema. Que tal?
peanuts_2015_movie_lying_woodeen_hd_desktop

 

Breaking News

newspaper_isolated_195174

(allfreedownload.com)

As notícias de última hora por aqui, dependendo da fonte, chegam com algumas horas de atraso. E não estou falando da BBC – com notícias quase em tempo real, mas sim, da minha preguiça em saber de fatos, que prefiro não saber.

Desde domingo tenho acompanhado notícias sobre o fortíssimo temporal que pegou Porto Alegre de surpresa na última sexta-feira. Destruição, pessoas feridas, medo. Pelo que me contaram, foi feio.

Coincidência ou não, o vento aqui em Manchester ontem foi de 40 milhas (mph), ou seja, cerca de 65 km/h. E hoje estamos com yellow warming (alerta médio): a previsão é de ventos de até 60 mph (97 km/h) no rastro da tempestade Henry que se aproxima do Reino Unido. Na Escócia e outras regiões da Inglaterra os ventos podem chegar a 90 mph… 144 km/h. Feio também. Mas pelo que vejo, a diferença é que em geral, os alertas sobre intempéries do tempo chegam a tempo de a população se informar e se preparar.

Outras notícias do momento por aqui falam da crise dos refugiados e imigrantes sírios; da eleição presidencial nos EUA; privatização do sistema público de saúde (NHS) no UK; corte de benefícios aos não-europeus; contratação do espanhol Pep Guardiola como técnico do Manchester City; David Beckham oferece café para uma paramédica em Londres e por aí vai. Ou seja, nada no mundo é muito diferente.

Sempre que posso, dou uma espiada nas notícias da Terra Brasilis… Mas quando a coisa fica feia, covardemente, desvio o olhar. Barbaridades e tempestades acontecem em qualquer lugar. Tento não ser pega de surpresa. Que tal?

*Breaking news da hora por aqui: Zika vírus no Brasil; Manchester City e Manchester United querem Neymar;

wind_turbine_fields-wide

(revelwallpapers.net)