Cidade Ciência

microscope-385364_1920

(pixabay.com)

Manchester é a European City of Science 2016. Por quê? Bem, segundo o EuroScience (organização de pesquisadores europeus que confere a distinção), por mais de 200 anos a cidade tem sido palco de ideias inovadoras e descobertas científicas que mudaram o mundo.

Alguns dos mais notáveis cientistas entraram para a história com projetos desenvolvidos em Manchester. Nomes como Rolls-Royce (automóveis), Ernest Rutherford (estabeleceu a física nuclear ao constatar que o átomo não era maciço e sim com enormes vazios e uma mínima região densa central), John Dalton (fomentou a teoria atômica ao esboçar um modelo de átomo) e Alan Turing (pioneiro no conceito de inteligência artificial)* ecoam pelos corredores dos museus e das universidades como velhos conhecidos dos novos aprendizes.

Sem falar no Graphene (grafeno em PT: material composto de átomos de carbono que, por ser o mais fino e mais condutor do mundo, é tido como o futuro da tecnologia), também foi originado em Manchester. E sem falar na Revolução Industrial, que rolou por aqui no final do século XVIII… Mas isso é outra história.

salford03

(lwg)

Como se vê, a cidade respira ciência. Para quem curte o tema, vale acompanhar a séria de mostras, exibições e eventos interativos que marcam esse reconhecimento. Que tal?

*A University of Manchester foi escolhida a 6º melhor universidade do Reino Unido e a 61º do mundo segundo o Center for World University Rankings.
*Revisão científica: Márcia

Sabor de fruta

fruits

                                                                                            (dicasfasnfun.blogspot.co.uk)

As frutas que compro por aqui têm as mais diferentes origens. Já comprei uvas da Itália e do Egito, maçãs da Polônia e do Brasil, e bananas do Equador e da Colômbia. Além das berries – blackberry (amora), raspberry (framboesa), cranberry (arandos ou oxicocos) e blueberry (mirtilo) – que brotam em qualquer mato na Inglaterra, a variedade e a oferta de frutas por aqui é como nos trópicos.

dsc01782

Tempos atrás participamos de uma competição no playgroup onde levava meu filho em que o desafio era: quem acertasse mais nomes de frutas da cesta, levava pra casa! Ganhamos. E os sabores eram muitos. E bem exóticos (ou seja, alguns não deu para engolir!).

dscf0864

Claro, as frutas que aqui brotam, não têm o mesmo sabor de lá… do Brasil. Dia desses tomamos um suco de abacaxi que, pra mim, tinha gosto de sol, verão e beira de praia de lá. Memórias e verdades tropicais. Que tal?
As frutas da cesta:
Avocado (abacate)
Mango (manga)
Fig (figo)
Guava (goiaba)
Kiwi
Kahki (caqui)
Melon (melão)
Passion fruit (maracujá)
Lime (limão)
Lemon (lima)
Pineapple (abacaxi)
Apple (maçã)

*Outono chegou dia 22 com máxima de 17ºC. O alto verão esse ano marcou 26ºC.

Frio e aconchego

dscf0196

                                                                                                 Edale, Derbyshare – lwg

Edale é uma pequena vila localizada no Peak District, região das montanhas e vales do county (condado) Derbyshare. Fica a 45 minutos de trem de Manchester. E é um lugar frio. Mesmo. Mais intenso que vento minuano no inverno no Sul do Brasil. Mas nas três vezes que estive por lá, o que senti além do frio, foi aconchego e receptividade.

O trem que vai até Edale é daqueles bem antigos e pinga-pinga… Para em todas as estações do roteiro. Mas nada que atrapalhe a viagem, já que o cenário de picos e colinas – bem diferente da área urbana que estamos acostumados – nos envolve num clima de contemplação e harmonia. O vilarejo tem cerca de 360 (!!) habitantes (2011) e ainda preserva o famoso Cotton Mill (moinho de algodão) construído em 1795.

Fomos visitar um casal de amigos que mora por lá há muitos anos e tem exatamente a atmosfera do local: tranquilidade, integração com a natureza e uma simpatia que aquece até os mais gelados. Ele inglês e ela paulista, profundamente conhecedores da cultura brasileira, dão o toque especial. Até porque ouvir MPB, saborear feijoada, farofa e couve mineira no interior da Inglaterra é luxo para poucos!

Ainda não encaramos as caminhadas e escaladas que a região oferece. Edale marca o começo da trilha Pennine Way, uma das mais famosas da Inglaterra, com 267 milhas (429km) de extensão, até Kirk Yetholm, na fronteira com a Escócia. Como estivemos lá no outono e no inverno, o desejo de iniciar minha carreira de caminhante profissional foi trocada pelo aconchego dentro da casa. Mas um dia, quem sabe, me aventuro. Que tal?

*Em tempo: essa semana teve temporal com raios e trovões pela segunda vez em 2 anos. Parecia tardes de verão com chuva tropical na terra brasilis. Som gostoso.

Se chover…

Encare assim mesmo! Transferir eventos em caso de chuva por aqui é tão em vão quanto a probabilidade de sol. Nada é garantia de nada! Marquei num sábado… choveu. Transferi para o outro… e na hora em que eu estava organizando a mesa, chuva.. Tipo chuvisco. Fazer o quê? E, vejam só, todos os convidados foram. Bacana.

Foi nesse clima que organizei o aniversário do meu filho ainda no final de agosto. E esse ano, em função de outrosquetais, a festinha seria outdoor… ou seja, na rua mesmo! Então, pensei num picnic.

A ideia era aproveitar os brinquedos do parque escolhido (que haviam sido totalmente renovados) para as crianças brincarem, e depois usar as mesas da área para picnic. E o menu foi só para crianças. Tudo homemade!

A molecada estava bem faceira. Mas claro, final de festa é sempre final de festa… brigadeiros esmagados, balões estourados e canseira geral. Ano passado pra completar, um temporal e banho de chuva. Já 2016, aniversariante com febre e de molho no dia seguinte. Mas feliz. E é isso que vale. Já pensou num picnic de aniversário? Pra quem mora numa cidade com sol, o sucesso é garantido! Que tal?

*Menu Kids da festinha: palito de frutas, doguinho, sanduiche natural, pão de queijo, brigadeiro e beijinho, suco de frutas e bolo (pão de ló com doce de leite e côco). Fica a dica!