NHS: o SUS (é) daqui

Na última sexta-feira dia 12 um ciberataque de grandes proporções afetou entidades em mais de 100 países. Aqui no Reino Unido a instituição mais comprometida foi o NHS. Milhões de serviços e pessoas foram afetados. Neste post escrevo sobre o sistema de saúde britânico.

john gomez shutter stock

Manifestações pró NHS (John Gomez/shutterstock)

O National Health Service surgiu durante o pós-guerra. Na época, a iniciativa do governo finalmente reconhecia a assistência médica como um dos cinco grandes problemas a serem enfrentados em um continente em reconstrução (além da carência, ignorância, miséria e preguiça). O lançamento aconteceu em julho de 1948 no Park Hospital, em Manchester.

Desde sua fundação, muita controvérsia. Originalmente, o NHS deveria ser totalmente gratuito e assim foi durante muitos anos. Mas aos poucos novas taxas foram fixadas e novos limites de tratamento. Por outro lado houve grande investimento em pesquisa científica e mudanças na forma de atendimento aos pacientes. Para se ter uma ideia, até 1954 crianças internadas em hospitais só recebiam visita dos pais por uma hora aos sábados… E o resto é história.

Aqui alguns detalhes (experiências) que ilustram o funcionamento do NHS:
– Para ter acesso, as pessoas devem se registrar no posto de saúde mais próximo de sua casa;
– Primeiro passo: agendar consulta com o GP (general practice), ou clínico geral;
– Normalmemte a marcação de consulta ocorre no mesmo dia ou em no máximo 2;
– Não há agendamento direto com especialista sem consulta prévia com o GP;
– O valor fixo dos remédio com receita médica é £8,60;
– A maioria dos medicamentos de uso contínuo é gratuita;
– Todos os medicamentos para crianças (0 a 16 anos) e pessoas a partir de 60 anos são gratuitos;
– As instalações, consultórios e equipamentos são de boa qualidade;
– Para quem está em viagem em países da Europa, o NHS oferece cobertura gratuita para diversos tipos de atentimento médico;
– Dentista: planos de atendimento dentário também são oferecidos pelo NHS mas neste caso, apenas subsidiados pelo governo. Os preços seguem uma tabela entre £20,60, £56,30 e £244,30, conforme a complexidade do tratamento. Crianças e estudantes são isentos;

IMG_20170509_100146070

Sala de espera da clínica dermatológica onde estive semana passada – lwg

O grande mal do NHS hoje é que está gigantesco, obeso. Com alto custo. E por conta disso vem enfrentando uma série de dificuldades e cortes de orçamento. Não raro vemos manifestações ou lemos artigos alertando para o atual desmantelamento do NHS, falta de leitos em hospitais e greve dos profissionais da área de saúde. Sem falar que cerca de 11% do quadro médico do NHS é formado por cidadãos europeus que, com o Brexit, teriam que deixar seus postos. Crise de saúde como em qualquer lugar. Que tal?

 * Somente tenho acesso ao NHS pois meu visto de residência está ligado à cidadania europeia. Como brasileira, não teria direito.
* O SUS (Sistema Único de Saúde) adotado no Brasil em 1988 foi inspirado no NHS do UK. Era para funcionar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s