Liverpool além dos Beatles

Liverpool005lwg

                                                                                      Liverpool, Albert Dock – lwg

Liverpool se localiza no noroeste da Inglaterra, condado de Lancashire e possui cerca de 480 mil habitantes. Foi fundada em 1207 e atualmente é uma cidade em franco desenvolvimento e uma das mais populares do Reino.

E sim, porto onde nasceram os 4 garotos aqueles, que formaram os Beatles. Mas, confesso, como nunca fui muito fã dos caras (sorry JRF!) sempre que visito a cidade, fujo um pouco do roteiro rock and roll/beatlemaníaco/turístico/Yellow Submarine e tento conhecer uma outra Liverpool. Mas, Let it be! Para quem curte… está tudo lá. Museus, esculturas, murais, músicos tocando hits pelas ruas, souvenirs, souvenirs, souvenirs, o Cavern Club, a Penny Lane, etc. E assim, o clima é inegavelmente contagiante. (O site Viajei Bonito apresenta um roteiro para quem quiser reviver a história da banda in-loco).

E para além dos Beatles, deixe-se perder pelas ruazinhas estreitas, centros culturais e a parte mais antiga e menos prestigiada da cidade, cheia de encantos. Pode ser uma semana, um final de semana ou um Day Trip(per). Vale a visita. From me, to you. Que tal?

Lugares bacanas para quem quer conhecer a Liverpool além dos Beatles:
World Museum: espaço com múltiplas representações. O planetário oferece sessões regulares para todas as faixas etárias
Central Public Library: a biblioteca pública apresenta um grande acervo de livros e mídias, além de espaços interativos, agenda de eventos culturais e um variado café
Merseyside Maritime Museum: o museu abriga uma importante coleção de documentos, objetos e reproduções dos grandes navios e embarcações da história do porto de Liverpool
International Slavery Museum: Localizado no terceiro andar do Merseyside Museum, o local reúne depoimentos, fotos e documentos que apresentam, de forma crítica, os séculos de maus tratos, comércio e exploração dos escravos no Reino Unido e Europa
Piermaster’s House: o local era uma das casas localizada na região das docas e a única que resistiu aos bombardeios na WWII. O interior e seus objetos oferecem uma visão bem realista das residências na época
*Zé, Dani e cia: acabamos de voltar de lá e temos um mapa da cidade pra vocês!

Anúncios

Good vibrations!

manchester001lwg

                                                                                         University of Manchester, UK – lwg

Manchester entre as 10 cidades mais vibrantes do mundo. O quê? Sim! A revista especializada em viagens Time Out (com sede em Londres e Nova York) divulgou essa semana a pesquisa City Life Index realizada em mais de 32 centros urbanos. E o povo elegeu os lugares mais bacanas nos quesitos alimentação, cultura, preços acessíveis, cordialidade and, of course, the good vibration.

manchester011lwg

Em sétima colocação, Manchester foi destacada pelo clima de seguir em frente, não importa a situação, a grande variedade de pubs, bares e música ao vivo e o insdispensável cuppa (chá básico de todo dia!).

Cada um na sua vibe. Estou aqui há mais de 3 anos e ainda tenho muito que aprender e conhecer da cidade. Curto como posso. Mesmo trocando a noitada nos pubs por trilhas ao ar livre. E sem mais, curtam as imagens de Manchester. Às vezes, falam mais que palavras. Que tal?

Summary
Good vibrations!
Manchester is one of the most exciting cities in the world. What? Yes! The Time Out magazine published this week the survey City Life Index quizzed urbanites from 32 cities around the world on food, culture, happiness, affordability and friendliness to find the best cities for living life to the full.
According to the travel magazine, Manchester locals said that the best thing about the city is that ‘we carry on, no matter what.’ Manchester is also the place with the most people who can’t get through the day without a cuppa, while its great drinking scene, live music and friendliness saw it ranked seventh. I have been living here for more than 3 years now and I still have a lot of things to learn and know about the city. Que tal? What you think?

Marple Bridge

IMG_20170809_160224838_HDR.jpg

                                                                                                           Marple Bridge – lwg

A serra gaúcha é considerada um dos principais roteiros turísticos do Brasil. O cenário de vales, montanhas e a arquitetura com toque europeu atraem milhares de turistas todos os anos, especialmente no inverno. Pois foi pra lá que me “transportei” quando visitei Marple Bridge, cidade localizada a menos de 20km (12mi) de Manchester. Me lembrou Nova Petrópolis, Gramado e Canela.

IMG_20170809_142523804

O vilarejo fica na região metropolitana de Stockport. É cercado por colinas (formação incomum numa área essencialmente plana) e pelo rio Goyt – que originalmente ligava o comércio local entre Derbyshire e Cheshire. A charmosa ponte de pedra no centrinho da vila foi contruída no século XVII.

IMG_20170809_145203176

Atualmente, cafés, trilhas, reservas e parques tornam a região um movimentado pit-stop de esportistas, caminhantes, turistas ou apenas residentes locais que circulam por ali. Uma boa dica é a caminhada entre o Peak Forest Canal até a cidade (cerca de 4mi e 2h30).

Lembranças da serra gaúcha à parte, Marple Bridge não deixa nada a desejar no quesito natureza, charme e, claro, as coisas bacanas do inverno. Uma boa caminhada, um chocolate (ou café!) quente, ou um simples passeio. Conectando o sul do Brasil ao leste de Manchester. Que tal?

Summary
Marple Bridge
The mountain range in the south of Brazil is considered one of the main turistic hotspots of the country. Valleys, hills and the European scenario attracts millions of visitors every year, especially in the winter. Marple Bridge reminds me of Nova Petrópolis, Gramado and Canela.
This village is located in Greater Stockport. It is sorrounded by hills (a rare formation in a particularly flat area) and by the Goyt river. The charming bridge in the centre of the village was built in the 17th century.
Nowadays, cafés, trails, natural reserves and parks make the region a bustling pit-stop for sportsmen, hikers, tourists or just local residents who roam the valley.
Memories of the mountain range in the south of Brazil aside, Marple Bridge leaves nothing to be desired in terms of nature, charm and of course the cool things of winter. Connecting the south of Brazil and the east of Manchester. Que tal? What you think?
*Previsão de neve amanhã. E eu sonhando com praia…

E o verão levou…

Formbylwg

                                                                                                                                                          Formby – lwg

As águas de setembro já diminuíram (já que nunca param mesmo!), o Indian Summer nem soprou este ano (massa de ar quente que chega da Índia no final de agosto) e o outono já está nas ruas, no frio e nas folhas pelo chão. Amanhã começa oficialmente a nova estação no hemisfério norte… Mas, para mim, começou terça-feira passada, quando às 09h da manhã, caminhava na rua com 8ºC. E o verão na Inglaterra levou minha cor veranico de inverno brasileiro!

Mas pra terminar a alta temporada com estilo, aqui um pouquinho sobre duas praias (sim, praias!) que visitamos recentemente. Uma bem diferente da outra. Adivinhem qual gostei mais?

Formby
Localizada na costa oeste do país, fica bem pertinho de Liverpool. A área toda é uma reserva natural onde habita a rara espécie de esquilo vermelho e durante o ano há trilhas e passeios guiados. A praia é bem rústica com uma longa trilha de acesso. São quase 2km de caminhada pelas dunas de areia, mais 1km até a beirinha da água. O banheiro (químico – casinha de PVC) fica ao lado do estacionamento, na entrada do parque. Pense bem… Não há restaurantes, bares, aglomerações. Perfeito para um picnic de verão. A água do mar é… gélida.

Blackpool
A cerca de uma hora de Manchester, Blackpool é um balneário super popular. Quer aglomeração, agitos, famílias e máquinas de brinquedo caça-níqueis? Blackpool é a pedida. Pela beira-mar, quiosques de cachorro-quente e hamburguer, muito fish & chips, turistas ingleses queimados de sol, roda-gigante, lixo pelo chão, muvuca, lojas, compras, compras, lojas. Hoteis lotados. Perfeito para quem busca agito. A água do mar é… gélida.

 

Bem, eu amo praia. Seja onde for. Afinal, como disse Ângela, é o que a casa (o reino!) oferece. Tendo areia e água tá valendo. O sol, bem, sol é um detalhe que o verão levou… Um dia me acostumo. Que tal?

* Sim, Formby faz mais meu estilo.

Fazendinha & kids!

IMG_20170831_140325745_HDR

(lwg)

Para comemorar o aniversário do meu filho, sempre escolhemos um lugar surpresa para festejar a data. Museu, parquinho, restaurante com espaço kids, vale tudo. A ideia é passar o dia, ou algumas horas, num lugar só de criança. Ou simplesmente… brincando. Até agora, temos acertado em cheio (não sei até que idade)!

 

Esse ano o local escolhido foi a Red House Farm, uma fazendinha que fica no distrito de Altrincham e apenas a 20 minutos da minha casa. O local é super bacana e até recentemente, era uma fazenda produtiva. Atualmente o espaço é aberto ao público para curtição ao ar livre e festas.

 

Entre as atrações, além da extensa área verde, a RHF tem café ao ar livre e comidinhas feitas na hora, venda de produtos orgânicos, espaço coberto para festas, brinquedos, caixa de areia, área para piquenique, estacionamento, banheiros e, vejam só, entrada franca! Claro, tem até aqueles carrinhos e máquinas de colocar moedas para uma voltinha, mas eu, sempre que posso, passo reto!

 

Durante o verão, também acontece por lá o Maize Maze, um evento que aproveita a época da plantação local de milho para uma atração à parte (esse sim, pago). Tem tobogã, pula-pula, pista de kart e passeio de mini-trator. E no milharal, um labirinto onde as crianças e adultos pegam uma bandeira (para visualizar mais facilmente quem se perde!) e partem na aventura de se perder e se achar entre as plantas. O desafio é encontrar os 8 personagens espalhados e ganhar um carimbo em cada façanha. 

IMG_20170827_085044735

Bolo recheado com dulce de leche uruguayo, côco e cobertura de brigadeiro! – lwg

Depois de 40 minutos de voltas e voltas, bem cansados, uma parada estratégica: ainda faltavam 3 carimbos e muita caminhada. Perguntamos pro aniversariante: -Vamos em frente sem choro/colo ou queres ir pra casa? -Vamos em frente! Resultado: andamos mais de 1 hora, sem choro/colo. De ninguém. E da próxima vez, juro que levo mais garrafinhas de água e as minhas galochas. Lama por todo lado! Difícil manter a elegância no clima fazendinha & kids. Que tal?

MIF2017 Arte e inovação

Salford02

                                                                                                                           Manchester – lwg

Logo mais à noitinha na Albert Square acontece a abertura do Manchester International Festival 2017. O evento segue até dia 16 de julho e rola em diversos locais da cidade.

Criado em 2007, o MIF é uma das principais referências em arte, contra-cultura e inovação na Europa e Reino Unido. O festival reúne artistas de diferentes nacionalidades e estéticas para, juntamente com a comunidade e público, desenvolver trabalhos de arte focados em vanguarda e diversidade.

Na programação, filmes, dança, música, mostras, instalações, feira gastronômica, espetáculos infantis, teatro, workshops e debates. O MIF acontece a cada 2 anos e já contou com a participação de artistas como Björk, Krafwerk, Rickie Lee Jones, Laurie Anderson e Lou Reed entre outros. Bora lá?

É primavera

IMG_20170607_161707643_HDR

                                                              Fletcher Moss Botanic Gardens – lwg

E eu amo. Principalmente quando faz sol. E como é raro por aqui, quando posso, paro tudo e saio a carpe diar os dias iluminados.

Um lugar para os adoradores do sol é o Fletcher Moss Botanic Gardens, no bairro de Didsbury. Dentro da cidade. Como um oásis. Criado oficialmente em 1919, o prédio principal data de 1695 e é o segundo mais antigo da região (o primeiro é a Saint James Church, 1541).

Durante séculos a propriedade pertenceu a diversas famílias de Manchester. Em 1912, um filantropo chamado Alderman Fletcher Moss adquiriu a área onde morou até sua morte em 1919, quando o parque passou a ser controlado pelo município. Em 2006, um grupo de voluntários fundou a Associação dos Amigos do Fletcher Moss (que administra o local), considerado hoje uma das principais atrações ao ar livre da cidade.

Além do jardim botânico, o espaço é rodeado por trilhas, árvores (em especial cedro do Líbano) e pelo rio Mersey. Há também uma área formada por rocha dos alpes e a grande atração do jardim inglês: a gunnera manicata (conhecida como folha-de-mamute ou comida de dinossauro), planta exótica com folhas gigantes original do Brasil. Verde mundo. Que tal?

Fletcher Moss Botanic Park
Didsbury, Manchester (M20 2RQ)
Entrada franca
Como diz na entrada do parque: from dawn to dusk (do amanhecer ao anoitecer!)